BARRA ANIMADA


Translate

SEJA BEM VINDO


BARRA 2


Mensagem


A Frequência Fotônica Pleiadiana e a Nova Era do Fóton


terça-feira, 2 de junho de 2015

Homem diz ter encontrado esqueleto de fada em floresta e mostra as fotos






O esqueleto foi encontrado numa floresta da Inglaterra, mais precisamente na Cornualha, no sudoeste do país. As imagens de um ser minúsculo, semelhante a um micro-humanoide, foram tiradas por um sujeito que decidiu não se identificar. Ele acredita que a ossada seja a de uma fada!




Mas... Fadas? Esqueleto? È isso mesmo e é o que especialistas em paranormalidade estão investigando a partir da divulgação dessas fotos estranhas 




O esqueleto cabe, como se pode ver, na palma da mão. Foi enviado ao Twitter de um podcast britânico especializado nesses assuntos sobrenaturais





O podcast chama-se The Mystic Menagerie e conta histórias e fala de investigações sobre fenômenos bem estranhos, o que incluem fantasmas, vultos, episódios sobrenaturais, criaturas bizarras como duendes, fadas e aliens





E foi um ouvinte do programa quem enviou as fotos da suposta fada para os produtores. E o achado do homem da Cornualha ganhou manchetes de jornais estrangeiros já está correndo a internet 





Mas, afinal, o que é esse corpo esquisito, desse tamanho? Uma fada de verdade? A prova que essas entidades folclóricas existem? Ou seria um alien?





O corpo estava incompleto: não tinha os membros inferiores, apenas crânio, vértebras e um, digamos, esboço de uma costela. O programa divulgou a notícia em março de 2015 e agora postou as fotos





O ser bizarro foi achado, segundo quem enviou as fotos, na árvore de uma floresta perto de um ninho de falcão. O cara que localizou a ossada disse que é biólogo e anda pelo lugar para vigiar e observar bichos ameaçados de extinção. Contou ter recolhido os ossos e mostrado a outros profissionais do centro de resgate de abes em que trabalha. Eles não souberam dizer o que era 





Ah, sim. Um dos apresentadores do programa é Dan Baines, famoso por noticiar um episódio de uma outra fada, esta mumificada, em 2007 





Só que desta vez, garante o sujeito, ele não tem nada haver com a história. Só recebeu as fotos. Baines e o outro apresentador, Freddie Valentine, afirmaram ter tentado falar com o homem das fotos, mas até agora não conseguiu. Histórias de fadas e duendes são muito comuns nessa região da Inglaterra





No último dia 6 de maio, o tabloide britânico Daily Mail publicou a foto de outro ser que muita gente acredita ser uma fada. Essa foto causou muito debate e discussão. Lisa Wildgoose, mãe de duas crianças em Towcester, região central da Inglaterra, fazia fotos numa floresta quando percebeu que tinha clicado esse ser no lado de baixo, à esquerda, da imagem 





"Nunca vi um ser flutuante como esse, só nas histórias que ouvi quando criança", disse Lisa, que é dona de uma empresa de fotografia, a Wildgoose Photographics. Ela contou que estava fazendo fotos da natureza e, quando foi ver as imagens em casa, notou, essa aparição na foto 



Veja mais de perto. Seria mesmo uma fada? Ou um inseto, como se discutiu nas redes sociais? 


Lisa acredita, e jura de pés juntos, que é uma fada. E, como ela, milhares de pessoas nas redes sociais também cravaram que se trata de uma fada, finalmente capturada por uma câmera




Outro que diz ter fotografado fadas é o fotógrafo John Hyatt, que afirmou ter feito imagens dela Vale de Rossendale, em Lancashire, Inglaterra



Eis as imagens que Hyatt fez e que foram publicadas em abril de 2014 nos tabloides britânicos




De perto o ser lembra aquele que Lisa fotografou




Só que, mais próxima, a imagem fica perturbadora, se você acredita nessas coisas, claro. "Parece mais espírito que fadas", disse o cara


Só para lembrar... Existem todas possibilidade em toda existência, e nada por mais estranho que possa parecer, deixa de existir.

Seres gigantescos existiram aqui na Terra, e existem ainda, são seres gigantes com variáveis alturas, de 2,50 m. até mais 20 m. de altura. Então porque descartar a possibilidade de existirem seres tão pequenos? Já conhecemos bem o pequeno alien que foi encontrado no deserto do Atacama.









Assista os vídeos:













The Lie We Live “A mentira que vivemos”






The Lie We Live“ (ou “A mentira que vivemos”, em tradução livre) é um curto documentário criado e escrito por Spencer Cathcart.

No vídeo o autor nos convida a refletir sobre liberdade, sistema de ensino, dinheiro, capitalismo, meio ambiente, mudança climática, alimentação etc. Parece muita coisa? Bom, é o que tentamos discutir em muitas de nossas publicações.
“Muitas das pessoas mais felizes são aquelas que possuem pouco… será que estamos realmente muito felizes com nossos iPhones, nossas grandes casas, nossos carros de luxo?”




Se você concorda que mais pessoas precisam assistir este vídeo, ajude a espalhar a mensagem. Clique no botão abaixo e compartilhe com seus amigos para que eles também reflitam sobre o assunto.





Permitindo a Mudança Vibracional






Muitos dos sintomas que estamos testemunhando entre aqueles que nos rodeiam podem ser explicados em termos da mudança vibracional que estamos passando.



A mudança está no ar, e as pessoas estão respondendo dando boas-vindas ou resistindo a todos os tipos de níveis. É um fenômeno fascinante de ser visto, bem como um pouco perturbador conforme pessoas que não entendem, atacam qualquer influência que elas percebam ser o culpado por sua desorientação.
É algo fascinante, mas intrinsecamente importante para o que está acontecendo aqui no nível da superfície.



O mais importante é o nível pessoal dessa transformação que está acontecendo quer as pessoas reconheçam ou não. Lutar contra a degradação estrutural dos velhos paradigmas é sempre um caso complicado, com muito pouco para apoiar os nossos velhos pontos de vista, exceto nos agarrar desesperadamente a velhos padrões de pensamento e comportamentos resultantes que moldaram nossas vidas. Tal é a morte do velho.
O aspecto esmagadoramente empoderador que a humanidade está enfrentando é a libertação completa de sistemas de controle decrépitos em um mundo desejoso de exploração e alegria que traz consigo reinos de transformação que nunca se sonhou antes.

O Ritmo da Mudança

Se a humanidade gosta, acredita, ou está pronta ou não, a mudança está acontecendo. É tão incontrolável como a música das esferas, conforme identificado pelo grande filósofo e matemático Pitágoras. Esta descoberta maravilhosa dos padrões rítmicos fundamentais decifráveis de criação em todos os níveis tem implicações profundas que permeiam todos os níveis da nossa existência.



Freqüência vibracional afeta tudo. Isto tem sido demonstrado usando não apenas som na água, areia e placas de metal onde padrões geométricos fabulosos são formados que mudam conforme a frequência é alterada, mas também acontece com a aplicação de pensamento, emoções e intenções, como demonstrado pelo falecido grande Masaru Emoto.



A terra ressoa com o que é chamado a frequência de ressonância Schumann, em primeiro lugar calculado em 7,83 hertz. E agora ela está literalmente mudando, e movendo-se em uma freqüência mais alta. E isso é apenas uma vara de medição. O que mais está mudando ao nosso redor e dentro de nós? Para quais novos padrões maravilhosos as nossas estruturas básicas estão se transformando conforme essa mudança vibracional continua a se desdobrar?
Nada para o cético, mas algo maravilhoso para o experimentador.

Saia do Teatro

Enquanto a atenção do mundo está paralisada em reprises de filmes matrix no teatro da vida, o teatro inteiro está se movendo e mudando, como o mundo em torno dele. Quando as pessoas finalmente levantarem-se de seus assentos e forem para fora, eles ficarão em choque. Não é o mesmo lugar onde entraram, e mesmo assim ele continuará a mudar. Pessoas buscando evidências desta mudança, olhando para as reprises na televisão e para o público extasiado nunca irão vê-lo. Além disso, grande parte da natureza da mudança vibracional é intuitiva, mas a prova está aí. Como a mudança das estações é preciso tempo e é um processo gradual, mas a primavera sempre segue o inverno mesmo quando parece que inverno não vai parar.



Faz-me lembrar como algumas pessoas não pode sequer ver os rastros químicos no céu. Ou acham que não há rima ou razão para a coordenação óbvia dos eventos mundiais e o sistema falso de dinheiro. Em suas mentes sempre foi assim e não há alternativa possível. É o mesmo com o golpe de direitos autorais ou os ricos montando nas costas dos pobres. Só que esta mudança é mais profunda do que essas manifestações superficiais do antigo sistema de controle. Mas até que você tenha experimentado este despertar vibracional ele não estará em sua realidade.

Ou assim você pensa.

Toda a natureza vibracional de todo o mundo em que vivemos, desde nosso DNA até a música dos planetas em nosso sistema solar, a transformação está em curso. O que implicará geologicamente, geopoliticamente e pessoalmente resta ser totalmente visto, mas nos transformar iremos, gostando ou não.

Desapegando-se

Isso pode parecer esotérico para alguns, mas é tão real quanto o nariz em nossa face. A mudança está ocorrendo, vibracionalmente e, portanto, emocionalmente, mentalmente, espiritualmente e fisicamente. Daí a reação confusa em tantos planos. A grande desvantagem para níveis baixos de pensamento é que nós interpretamos as mudanças pelos velhos canais desgastados de pensamento e compreensão.
Basicamente falando, nunca mais os dois mundos devem se encontrar.
Eles não podem. Eles são paradigmas completamente diferentes. 




E até mesmo o próximo paradigma vai chegar a dissolução na medida em que continuamos no caminho. Aprendemos mudando, que começa com a vontade de explorar e assim a mudança evolui. Não poderia ser mais simples, em muitos aspectos, mas deixar-se entrar em novos domínios foi condicionado violentamente para não ocorrer. As construções da sociedade, especialmente nesta era altamente projetada de tecno-fascismo, são implacáveis em sua busca de confinamento e controle. Somos forçados a julgar “normalidade” por “padrões” cuidadosamente manipulados que, uma vez conformados, começam a reforçar-se. Em uma escala de massa, em seguida, esta torna-se uma forma de escravidão voluntária.



Não caia nessa. Na verdade, você não será capaz por muito mais tempo de qualquer maneira. Toda a bola de cera está passando por uma transformação imparável quer queira ou não. Empoderador e emocionante para alguns, completamente desorientador e até mesmo aterrador para outros.

Porque não permitir-se? Deixar ir e desfrutar do passeio! É a solução que todo mundo estava esperando, mas exige a nossa participação dispostos a permitir que a sua magia criativa trabalhe de forma mais eficiente e eficaz.

Traduzindo a Mudança Vibracional

Se esse conhecimento e experiência encoraja você a falar contra o sistema de controle, bem como ajuda a co-criar estas mudanças maravilhosas ou não, é livre escolha de todos. Partilho o que eu estou percebendo e tento empurrar e inspirar tantos quanto eu puder, como um número crescente de outros estão fazendo. Podemos olhar para a matrix maníaca e seu mau funcionamento todos os dias, mas soluções positivas estão por todos os lados e estão lá para a colheita. Ativar-se vibracionalmente esta mudança de paradigma ajuda a manifestá-la e acelera seu efeito sobre tudo e todos.



Se você já viu essas manifestações musicais onde uma corda ou vibração desencadeia outras em torno dela para vibrarem na mesma freqüência, você sabe o que quero dizer. Só que aqui estamos falando de um nível mais profundo, um nível quântico transferência vibracional. Ele se manifesta em vidas transformadas, pensamentos ressonantes, despertar de consciência metal e espiritual. Se as plantas e os animais respondem à música, quanto mais o espírito humano responde à música das esferas e mudança de vibração cósmica fundamentais?!

Tudo o que temos a fazer é virar a chave!





A misteriosa caverna dos gigantes ruivos







Muitas tribos nativas do noroeste e sudoeste dos Estados Unidos ainda falam sobre as lendas de gigantes ruivos e de como seus ancestrais combateram longas e terríveis guerras contra estes gigantes, há mais de 15.000 anos.





Mesmo na América Central, os antigos astecas e maias registraram seus encontros com uma raça terrível de gigantes no norte, quando eles se aventuravam em expedições à procura de novas terras.

Quem eram estes gigantes que muitas lendas falam a respeito?  Poderia esta ser uma parte da história que tem sido ignorada pelos acadêmicos?  Seria possível, como a evidência sugere, que gigantes viviam na Terra, num passado distante?
Tem havido numerosos lugares no globo onde foram escavados esqueletos gigantes em sítios arqueológicos.  Pesquisadores apontam que nos Estados Unidos estes misteriosos gigantes foram encontrados nos estados de Michigan, Illinois, Tennessee, Arizona e Nevada.

Em 1924, estes mitos se tornaram realidade quando pesquisadores descobriram, no estado de Nevada, restos de seres gigantes na Caverna Lovelock.  A caverna – localizada a 20 quilômetros ao sul da cidade de Lovelock – tem aproximadamente 12 metros de profundidade e 18 de largura.  Ela é uma caverna que data da época pré-humana no continente.  Em tempos pré-históricos ela ficava sob um enorme lago, chamado de Lahontan, que cobria a maior parte do oeste de Nevada.

Geólogos determinaram que a caverna foi formada pela ação de ondas e correntes do lago.
Os Paiutes, uma tribo nativa da região dos estados de Nevada, Utah e Arizona, contaram aos primeiros ‘homens brancos’ a história de batalhas de seus ancestrais contra uma raça de gigantes ferozes, com pele pálida e cabelo vermelho.




De acordo com a tradição paiute, estes gigantes viveram na região por muito tempo.  Os paiutes chamavam os gigantes de “Si-Te-Cah”, que literalmente significa “comedores de junco”.

O junco é uma planta aquática muito fibrosa, da qual os gigantes faziam balsas, as quais teriam sido usadas para navegar e escapar dos paiutes.
Eles usavam as balsas para navegar através do que restou do Lago Lahontan.  De acordo com as lendas dos paiutes, estes gigantes de cabelo ruivo eram cruéis e maus, matando e comendo os paiutes capturados.



Milhares de anos mais tarde, a misteriosa caverna onde os gigantes se refugiavam foi redescoberta e escavada.  Após 13 anos de escavações, arqueólogos fizeram descobertas incríveis.

Mais de 10.000 artefatos foram escavados e entre eles estavam os restos mumificados de dois gigantes.  Uma fêmea de 6,5 metros de altura e um macho de 8 metros.


Estas ilustrações de esqueletos representam “somente alguns” dos restos de mortais de gigantes, desenterrados e documentados em registros históricos… (todas as medidas estão em pés x’ e polegadas y”. 
Muitos artefatos podem ser vistos no museu de história natural, localizado em Winnemucca, Nevada. Porém, os esqueletos gigantes não estão em exposição.  À medida que os arqueólogos continuaram com as escavações, os mitos dos paiutes pareciam cada vez mais como contos precisos do que teria acontecido num passado distante.
Teriam mesmo estes gigantes existido e, se realmente existiram, estariam eles completamente extintos hoje?

Estas e outras perguntas relacionadas a este mistério talvez nunca venham à tona para nós, meros cidadãos comuns.

Machados e marretas gigantes da antiguidade intrigam pesquisadores


Alguns registros da nossa história são bem claros quando dizem que a Terra foi uma vez habitada por gigantes e estes viviam conosco.  

Até mesmo livros religiosos, como a Bíblia, fala destas enormes criaturas.  Contudo, todos esses registros têm sido descartados pela comunidade científica como sendo mitologia, afinal, por que desafiar e mudar o status quo?


Mesmo assim, há indicações e evidências por todo o mundo mostrando que a possibilidade de gigantes terem vivido entre nós é extremamente plausível.

Veja abaixo alguns fatos e fotos de instrumentos da antiguidade, os quais, devido ao seu enorme tamanho, não teriam utilidade prática para humanos de estatura normal.
Aparentemente, estas são as maiores ferramentas de pedra já encontradas e têm havido muitas mais ao redor do mundo:

Estes utensílios de pedra (cabeças de machado) foram encontrados no leito de um lago em Botswana e são de entre 10.000 a 250.000 anos atrás. Fonte: phys.org

Mais abaixo, possíveis ‘cabeças’ de marretas encontradas nas Grandes Minas Orme, no País de Gales.  Estima-se que uma pessoa teria que ter entre 3,6  a 4,5 metros de altura para utilizar estas ferramentas de forma segura e eficiente:

Uma marreta de 30 quilos seria impossível de ser prática para o uso de um humano. Fonte: s8int.com

Foto de possíveis marretas encontradas em Orme

Os grandes machados antigos de Minóicos e Cretanos:

Que humano poderia utilizar este armamento em batalhas e ainda ter agilidade?

Uma estrutura piramidal foi encontrada na selva do Equador e revelou algumas descobertas interessantes.  Espalhados pela área havia muitos artefatos de pedra e cerâmica (que aparentemente foram roubados nos recentes meses). Muitos desses objetos pareciam ser ferramentas de pedra que podiam ter sido usados na mineração ou no refinamento de algum tipo de minério.  

Entre estas ferramentas estão algumas que seriam extremamente difíceis para um humano de estatura normal utilizar de forma prática.  Isto levou à uma forte suspeita de que esta é uma das legendárias cidades de gigantes, bem conhecida dentre as lendas locais equatorianas.  Tais locais geram um grande temor entre os membros das tribos de hoje, pois eles acreditam que estas regiões sejam protegidas por espíritos guardiões, ou por seres  de outro mundo. 

Muitos exploradores têm ido para dentro da floresta, e nunca mais retornam.  Até mesmo os exploradores mais experientes têm desaparecido sem deixar nenhum traço.

Estrutura encontrada na selva equatoriana. Fonte: earth4all.net

Estas espadas foram encontradas na Finlândia, junto a um corpo que estava relativamente bem preservado.  A pessoa foi enterrada com uma espada da era dos Vikings (a menor) e outra de origem desconhecida (a espada grande):


Comprovações da existência de gigantes ruivos em outras localidades 


Antigos povos Gigantes no Novo Mundo, nas Américas




De acordo com lendas orais indígenas dos índios Paiute, uma tribo de gigantes chamada de Si-Te-Cah era uma raça nativa norte americana de grande estatura de indivíduos gigantes ruivos, de cabelos e barba vermelhos, que uma vez ocuparam a área do oeste num passado muito distante. 

Sarah Winnemucca Hopkins, uma proeminente mulher, educadora, ativista e nativa norte americana, e filha de um Chefe da tribo Paiute, chamado por Winnemucca, relatou muitas histórias transmitidas em sua tribo, em primeira mão, sobre o povo gigante Si-Te-Cah em seu livro “Life Among the Paiutes”, publicado em 1883.

Surpreendentemente, os restos mumificados com cerca de 9,400 anos de idade foram realmente encontrados em uma caverna no estado de  Nevada, embora um estudo científico não foi permitido sobre os restos encontrados por razões políticas.




Sarah Winnemucca Hopkins, uma proeminente mulher, educadora, ativista e nativa norte americana, e filha de um Chefe da tribo Paiute, chamado por Winnemucca, relatou muitas histórias transmitidas em sua tribo, em primeira mão, sobre o povo gigante Si-Te-Cah em seu livro “Life Among the Paiutes”, publicado em 1883.

“Meu povo diz que a tribo que exterminamos de gigantes tinha cabelos e barbas vermelhas, tenho um pouco de cabelo, transmitido de pai para filho, tenho um vestido que está na nossa família há muitos anos, aparado com os cabelos avermelhados. Eu o uso algum tempo quando eu faço palestras. Também é chamado de vestido de luto, e ninguém tem um vestido desses, apenas minha família.



“Esses grupos de seres gigantes, de barba e cabelos vermelhos, sendo encontrados por todo o planeta, também estavam na Europa, no Sul e na América do Norte. E ao que parece, ao mesmo tempo, antes da última Idade do Gelo aparentemente, eles tinham uma área muito grande que eles governavam”.

As mais antigas múmias artificial do mundo são as encontradas em Chinchorro do norte do Chile e do sul do Peru. Enquanto a mais antiga múmia artificial egípcia data de cerca de 3000 aC, a mais antiga múmia artificial de Chinchorro data de cerca de 5050 aC. E enquanto a mais antiga múmia natural egípcia (com cabelo vermelho chamada “ruiva”) data de cerca de 3400 aC, a data mais antiga de uma múmia natural de Chinchorro data de cerca de 7020 aC.


A cultura Chinchorro foi a única cultura andina que realizou a mumificação em todos os membros de sua sociedade. Em todas as outras culturas andinas, apenas os membros da elite governante era mumificada. Estas fotografias de múmias de Chinchorro mostram que elas têm o cabelo e características Caucasiana. Isso pode significar que apenas a cultura Chinchorro consistia exclusivamente em elementos caucasianos, e que todas as outras culturas andinas eram compostas por uma elite de caucasianos (raça branca) que governava um proletariado mongolóide (raça vermelha).



“Native Races of the Pacific States”, de Hubert Bancroft, publicado em 1874, Bancroft diz que no Peru havia “numerosas e vagas tradições de assentamentos ou nações de homens brancos e barbados, vestidos com longas vestes, que regulavam o calendário e eram criadores de uma civilização avançada “.

Um local principal do enterro da cultura de Nazca era o cemitério de Chauchilla, estabelecido no ano 200 dC, e usado por 600 a 700 anos. O cabelo das múmias é obviamente caucasianos e todos usam trajes longos. Os vasos cerâmicos foram produzidos pela cultura Moche (100 a 800 dC), todos eles têm barbas, seus traços faciais são caucasianos, e novamente, todos eles estão usando longas vestes.


A fotografia abaixo de múmias da vila Wari, um dos muitos povos pré-Inca que habitavam a área agora conhecida como Lima no Peru. Eles foram tirados diretamente de uma pirâmide com as máscaras de olhos azuis que você vê na foto. Além da múmia envolto em seis camadas de lã, foram encontradas agulhas e outros materiais têxteis.




Por todo o Novo Mundo encontramos lendas de Quetzalcoatl (pelos Aztecas), Kukulkan (pelos Mayas), Amalivaka (pelos Tamanacs), Manco-Capac (pelos Incas), Viracocha (por Aymaras). Todos eles descrevem: um homem branco alto, de olhos azuis, com longos cabelos e barba avermelhados.

Os EUA estão usando bombas MOAB contra gigantes Nephilim escondidos no Afeganistão?

Numerosas múmias caucasianas pré-hispânicas foram encontradas na América do Sul com cabelos claros, alguns com pedras azuis cobrindo os olhos, além de máscaras douradas com olhos azuis semelhantes, que combinam com as lendas dos deuses solares de pele clara.




Dois mil anos atrás, uma civilização misteriosa e pouco conhecida, com uma elite branca, loura e de olhos azuis, governava a costa norte do Peru. Seu povo era chamado de Moche. Eles construíram enormes pirâmides que ainda dominam a paisagem circundante; algumas com mais de cem metros de altura. O túmulo do Senhor de Sipán é considerado por alguns arqueólogos como uma das descobertas arqueológicas mais importantes desta região do mundo nos últimos 30 anos, pois o túmulo principal foi encontrado intacto e intocado pelos ladrões.


Pizarro perguntou quem eram os ruivos de pele branca. Os índios respondiam que eram os últimos descendentes dos Viracochas . Os Viracochas, diziam eles, eram uma raça divina de homens brancos com barbas. Eles eram tão parecidos com os espanhóis que os europeus foram chamados de Viracochas no momento em que chegaram ao Império Inca. Os Incas pensavam que eram os Viracochas que haviam voltado para o Pacífico. (Heyerdahl, ibid., Página 253).

Um Testemunho do Povo Pele Vermelha

De acordo com a lenda inca principal, antes do reinado do primeiro Inca, o deus-sol, Con-Ticci Viracocha, tinha-se despedido de seu reino no Peru atual e partiu para o Pacífico com todos os seus súditos. Quando os espanhóis chegaram ao Lago Titicaca, nos Andes, encontraram as mais poderosas ruínas em toda a América do Sul – Tiahuanaco. Eles viram uma colina remodelada pelo homem em uma pirâmide escalonada, alvenaria clássica de enormes blocos, bem revestidos e equipados juntos, grandes e numerosas estátuas em forma humana.




Pediram aos índios que lhes dissessem quem deixara essas enormes ruínas. O cronista bem conhecido, Cieza de Leon, foi informado em resposta que essas coisas tinham sido feitas muito antes de os Incas chegarem ao poder. Eles foram feitos por homens brancos e barbados como os próprios espanhóis. (Heyerdahl, ibid., Página 253). 


Os homens brancos finalmente abandonaram suas estátuas e foram com o líder, Con-Ticci Viracocha, primeiro até Cuzco, e depois para o Pacífico. Eles receberam o nome Inca de Viracocha , ou “espuma do mar”, e desapareceram sobre o mar.

Os arqueólogos descobriram uma cidade perdida no interior da floresta amazônica de uma tribo de pessoas de pele branca, de cabelos louros, há muito perdida, chamada de Pessoas da Nuvem. O povo da nuvem, também conhecido na lenda como “guerreiros brancos das nuvens”, estabeleceu um reino expansivo pré-Inca, localizado nas regiões setentrionais dos Andes, no atual Peru. Outros grupos pré-hispânicos se referiam aos Povos da Nuvem … como “deuses brancos” devido à sua altura, cabelos loiros e olhos azuis. De acordo com a lenda Inca, os Chachapoyas lembraram que seus antepassados vieram do Oriente.




Os códices aztecas são livros escritos pelos astecas pré-colombianos e da era colonial. Observe que o gigante representado acima tem um nome próximo dele, o texto lê Quinametzin, o seu nome, um dos velhos gigantes.

REPORTAGENS DE JORNAIS ANTIGOS SOBRE A DESCOBERTA DE ESQUELETOS DE GIGANTES NOS EUA PODEM SER VISTAS AQUI.

Sobre a existência de gigantes na Terra, existe ainda uma passagem bíblica que narra um combate entre um desses gigantes (GOLIAS) e um servo de Deus, Davi:

“Então saiu do arraial dos filisteus um homem guerreiro, cujo nome era GOLIAS, de Gate, que tinha de altura seis côvados e um palmo (cerca de 3,25 metros de estatura). 1 Samuel 17:4





“E Davi pôs a mão no alforje, e tomou dali uma pedra e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa, e a pedra se lhe encravou na testa, e caiu sobre o seu rosto em terra. Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou; sem que Davi tivesse uma espada na mão.




Soldados americanos relatam: ''Encontramos um gigante de cabelos vermelhos em caverna do Afeganistão!

Ex Membro das forças armadas americanas rompe o silencio e relata encontro com Gigante de Kandahar.

Em um recente episódio de Um programa denominado Watchers do repórter e pesquisador Marzulli apresentou uma entrevista com um Ex- Membro das forças armadas americanas que Esteve Presente no mítico Encontro com o Gigante de Kandahar no Afeganistão.A entrevista é surpreendente já que ele é testemunha presencial no caso.




Os gigantes Nephilim-Anunnaki, de cabelos e barbas vermelhos, que estão despertando, estariam sendo caçados e aprisionados por forças especiais dos EUA, como foi relatado no Afeganistão recentemente.

A identidade da testemunha não pôde ser revelada, mas sem embargo ele fornece informações sobre sua estadia em Kandahar Afeganistão.O entrevistado menciona detalhes do encontro com o gigante. 




O relato começa Quando seu pelotão realizava uma larga caminhada de reconhecimento na zona do deserto de Kandahar Afeganistão no ano de 2002, Quando encontraram no caminho restos de ossos ficando assombrados em primeira instância pensaram que poderiam ser algum animal que houvesse devorado a sua presa, mas um poco mais adiante encontraram um estranha caverna a cual decidiram inspecionar mas surpreendentemente emergiu um homem gigantesco entre 12-15 pés de altura ou seja 4 metros e meio de altura e cerca de 1100 libras um total de 500 kg, meia tonelada fazendo sons como grunhidos. O ser era muito musculoso, tinha seis dedos em suas mãos e pés, seu cabelo era grande e ruivo.



O ser veio a nossa direção rápido e agilmente em posição de ataque. Respondemos imediatamente com disparos de nossas armas de fogo de alto calibre, os disparos não pareciam afeta-lo, ele saltou com a sua lança e levantou um dos soldados na lança com uma das mãos apenas, continuamos disparando por cerca de 30 segundos. E o ser finalmente Caiu abatido ...


A testemunha disse que o Gigante foi transferido para uma base militar da zona e depois ninguém mais soube seu paradeiro.




Este caso nos faz lembrar dos gigantes ou nefelims do irã em estado de hibernação,gravados e divulgados recentemente nas mídias, a gravação foi realizada escondida com uma câmera celular, e pode-se ver apesar da qualidade de gravação claramente dois humanoides em estado de hibernação, as características destes seres são similares ao do relatado pela testemunha no caso do Afeganistão.




Quer se aprofundar um pouco mais nesse assunto? Assista os vídeos relacionados abaixo:








































Total de visualizações de página

Página FaceBook